«Défense absolue d’aller voir le spectacle infernal du sorcier blanc»: a função da narrativa e da metáfora na reconstituição histórica do espetáculo cinematográfico numa aldeia africana

Mahomed Bamba

Resumen


As questões que examino neste artigo tem a ver com a reconstrucão histórica de um caso de recepção cultural do cinematógrafo numa aldeia islâmica Africana. Minha análise interpretative deste processo é baseada numa releitura de uma narrativa curta do escritor Amadou Hampâté Bâ. A partir do texto de Bâ levanto uma série de perguntas: como a narrative de Bâ mistura as estruturas enunciativas de um relato na primeira pessoa, os discursos de outros espectadores-personagens e uma descrição histórica? Qual figura do espectador do primeiro cinema ela nos restitui? O discurso, as opiniões e as reações do público naquela aldeia Africana acerca do cinema são diferentes ou semelhantes aos de outros públicos naquele mesmo período? Quais são as determinações e as mediações de ordem sócio-cultural que a narrativa de Bâ nos deixa entrever entre o espetáculo cinematográfico e a «instituição» religiosa? Qual é o papel da metáfora na recepção cultural do cinematógrafo? Parto da hipótese que a narrativa de Bâ pode ser lida e interpretada como uma metáfora e um documento histórico.

Palabras clave


Reconstituição histórica; recepção cultural; Narrativa

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Cosandey, Roland; André Gaudreault; Tom Gunning (orgs.): Une invention du diable? Cinéma des premiers temps et religion/An Invention of the Devil? Religion and Early Cinema. Sainte-Foy/Lausanne: Presses de l’Université Laval et Éditions Payot, 1992.

Gaudreault, André et alli (orgs.) Le cinema en histoire. Institution cinématographique: réception filmique et reconstitution historique. Québec/Paris. Nota Bene & Méridiens Klincksieck, 2000.

Jost, François. Le temps d´un regard: du spectateur aux images. Québec/Paris: Nuit Blanche Éditeur/Méridiens Klincksieck, 1998.

Lacasse, Germain. Le bonimenteur de vues animées: le cinéma «muet» entre tradition et modernité. Québec/Paris: Nota Bene & Méridiens Klincksieck, 2000.

Prieur, Jerome. Le spectateur nocturne: les écrivains au cinéma (une anthologie). Paris: Cahiers du cinéma, 1993.

Ruby, Christian. L´archipel des spectateurs. Paris: Éditions Nessy, 2012.

Ruelle, Catherine (org.). Afriques 50: singularités d´un cinéma pluriel. Paris: L´Harmattan, 2005.

Stam, Robert . Introdução à teoria do cinema. Campinas: Papirus, 2003.

Tsivian, Yuri. Early Cinema in Russia and Its Cultural Reception. Chicago/London: The University of Chicago Press, 1998.




DOI: https://doi.org/10.14516/fdp.2014.005.001.007

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




ISSN: 1989-9289

DOI prefix: http://dx.doi.org/10.14516/fdp